quinta-feira, 22 de abril de 2010

Ausência...


O céu chora
Pela tua ausência.
Lágrimas doces
Mas…
Salgadas minhas.
Sal…
Sal
Do meu ser.
Vida que definha
No abstracto da vida
Na relatividade do tempo
E no pó…
Pó em que te
Transformas
Juntar-me-ei
A ti.

4 comentários:

  1. Muito bom...

    Uma boa tarde para ti. Abraços

    ResponderEliminar
  2. Poeta,

    As lágrimas são como a chuva,
    Fecundam a terra.
    Lavam a alma.
    Não há ausências
    Há um crescente de brilho
    Que tudo envolve,
    Cintilado de pó de ternura
    Fragmentos de vida intensa
    Amada, amado,
    Criatura maravilhosa.

    Existe paixão pela arte?
    Não sei... só sei que ando apaixonada pelo trabalho de um certo mestre...
    Beijos,

    ResponderEliminar
  3. Mas muito perto do coração... joga o balde de lágrimas no mar e deixa que ele te traga o Amor a navegar.

    Beijos meu lindo!
    Espero que estejas bem.

    ResponderEliminar